quarta-feira, 21 de maio de 2008

Antitéticamente

O extremo não se encontra na antítese, não se habita no branco ou no preto ou se diferencia feito o pão e o vinho.
O paradoxo se apresenta na uniformidade que destoa as diferenças.
De tanto ser igual o homem se pôs a ser diferente, decretou novas leis e imprimiu uma constituição de um mundo perdido onde involuntariamente acatamos tamanha calamidade.
O caráter fundamentalmente já perdeu seu sentido e os sentidos já perderam todo seu caráter.
Não há nada que se mantenha estável, vivemos em uma rotação ideológica, o mundo gira mediante uma lógica simples e imperativa: mande, humilhe, atire, atinja, magoe, aflija, chore, ignore,mate...lave as mãos

3 comentários:

Faber disse...

cruzes...

King F. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
King F. disse...

Alem de tudo a senhora Bolivia tambem escreve...que interessante!Depois dá uma passada no meu blog: ww.coisasdefilippe.blogspot.com

Ahh claro, adorei os textos! =D